Notícias

DISCRIMINÇAO E PRECONCEITO – GUARDESECURE E BB

“MULHER DÁ MAIS DESPESA À EMPRESA”

Com esta afirmação absurda, preconceituosa e discriminatória um chefe da unidade da tesouraria do Banco do Brasil da cidade de Irecê tentou justificar a dispensa das 04 (quatro) vigilantes que prestavam serviço naquela unidade do banco naquele município.

No setor de segurança privada as mulheres são vítimas de muito preconceito, discriminação, assedio e outras práticas criminosas, apesar dos esforços do Sindicato e da categoria no combate a tudo isto. Mas ainda tem gente insistindo nestas coisas.   

Em Irecê, dos 10 vigilantes que prestavam serviço na unidade de tesouraria do BB, 4 eram mulheres. O Banco decidiu desativar a unidade e reduzir a equipe para 4 vigilantes. Dos 6 dispensados, não ficou nenhuma das mulheres e o discurso do chefe da unidade, dizendo que mulher dá muita despesa para a empresa, foi o critério para a eliminação dos empregos delas.

Logo que tomou conhecimento a direção do Sindicato iniciou um processo de mobilização e denuncia.

Na segunda-feira, 23, notificou a empresa Guardesecure Vigilância para que reconsidere a demissão das colegas e, leve em conta, pelo menos, a proporcionalidade na manutenção dos empregos.

De igual forma, também na segunda-feira uma representação do Sindicato integrada por Diretores e Diretoras entregou pessoalmente ao Superintendente Regional do Banco do Brasil na Bahia um Oficio denunciando a situação e manifestando o repudio à atitude preconceituosa e discriminatória do representante do Banco naquela unidade de Irecê.

Além dessas ações o Sindicato encaminhará denúncia do Ministério Público

 do Trabalho e caso a empresa e o banco mantenha as demissões das trabalhadoras, realizará protestos e manifestações denunciando o caso. Chega de preconceito e discriminação contra a mulher vigilante.

Related posts

PAGAMENTO DE PROCESSO VIPAC/MULTA FÉRIAS: DINHEIRO EXTRA E CONQUISTADO PARA MAIS 5 VIGILANTES

Jefferson Fernandes

Insegurança faz crescer a segurança privada

Jefferson Fernandes

PAGAMENTO DE PROCESSO – GASPE/DANO MORAL

Jefferson Fernandes