QAP VIGILANTES ! CAMPANHA SALARIAL UNIFICADA 2019 DOS VIGILANTES DA BAHIA

ATUALIZADO EM 23/03/2019

DURO EMBATE, 1,5% DE REAJUSTE (E AINDA NÃO OFICIAL) E NOVA RODADA DIA 27/3

A 7ª rodada de negociação (a 1ª no MPT) realizada nesta sexta-feira, 27, para tratar da nossa CCT – Convenção Coletiva de Trabalho, foi palco de duros embates entre as lideranças sindicais da categoria e os patrões da vigilância, mediada por uma Procuradora e um Procurador do Trabalho e acompanhada no auditório do MPT por muitos vigilantes da base. Os patrões, mais uma vez, insistiram na chantagem: só falam em reajuste se os trabalhadores aceitarem as suas propostas porcas.
Querem prazo maior para trocar farda, não realizar exame médico mental anualmente como manda a norma e a lei e reciclagem nos feriados.
Sobre reajuste e depois de muita pressão dos trabalhadores e cobrança do MPT os patrões disseram que a proposta era de 1,5% (um e meio por cento, isto mesmo!) e, ainda assim, não oficial ou formal (sem constar em ata). A nossa resposta, diferente deles, foi Oficial e na tampa: NÃO ESMOLA. Queremos 3,57% da inflação, mais 5% de ganho real, ticket de 20 reais, entre outros pleitos.
Nova rodada ficou agendada para a próxima quarta-feira, dia 27.
VIGILANTES PRESENTES – Vale registrar que a reunião/audiência foi realizada no auditório do MPT, um local mais amplo, permitindo que participasse mais gente. Com isto, os vigilantes que chegaram cedo no MPT participaram. E, como sempre, só não quem já morreu: a turminha do blábláblá, do fake News, do zap-zap, da babação.
Democracia, transparência e respeito é o nosso exercício diário.
QUARTA-FEIRA, DIA 27 ÀS 13H3, DE NOVO, TODOS NO MPT (CORREDOR DA VITORIA)

PARA OS INOCENTES: NOTICIAS DO REINO DOS CROCODILOS
Março/19
Alguns “inocentes” gostam de festejar as festas de aniversário alheia, sem saber ao menos, quem para quem está apagando velinhas, se para trabalhador ou patrão. No mês passado, por exemplo, um áudio falava de um acordo coletivo dos vigilantes fechado no Rio de Janeiro e alguns desses inocentes festejaram. Pois agora que a CCT de lá foi assinada, festejem inocentes: O REAJUSTE FOI DE 3,3% (ABAIXO DA INFLAÇÃO), O 13º PARCELADO EM 4 VEZES, E A RECICLAGEM PAGA PELO VIGILANTE NOS PRIMEIROS SEIS MESES. É pouco ou quer mais? .
Já em São Paulo e Paraná, além de coisas do tipo (intermitente, horistas, etc.), Sindicatos fazem acordo para homologar QUITAÇÃO ANUAL em troca de 350 a 500 reais por trabalhador, pago pela empresa, para seus cofres. Com a tal quitação a empresa diz que pagou tudo no ano que passou e o trabalhador não pode reclamar nada na justiça quando sai. E o Sindicato (de vigilantes) ainda diz em sua página na internet que “a quitação protege a empresa contra reclamações trabalhistas. Ora, sindicato está preocupado em proteger empresa? Mas é assim que funciona o reino dos crocodilos.
Já na Bahia, Brasilia, Alagoas e outros estados as negociações são mais demoradas, são serias e transparentes. Não se protege patrão. Os crocodilos estão fora dos sindicatos.
Quer confirmar tudo isto, vá na pagina do Ministério do Trabalho, no sistema mediador e confira as tais CCT’s.

ATUALIZADO EM 15 /03/ 2019

MPT REMARCA AUDIÊNCIA DO DIA 18, PARA 22 – SEXTA-FEIRA

A Procuradora do Trabalho Doutora Cleonine Maria Rodrigues Moreira Sampaio comunicou aos Sindicatos a redesignação ou remarcação da audiência do dia 18 para o dia 22 de março, sexta-feira, as 9 horas.
Assim, ficam reafirmado todas as nossas palavras do comunicado anterior (14/3) e renovado o convite a todos os colegas para se fazerem presentes no MPT no dia 22, às 9h.
AUDIENCIA DE NEGOCIAÇÃO DA CCT DOS VIGILANTES DA BAHIA
SEXTA-FEIRA, 22 DE MARÇO, 9H – NO MPT – MINISTÉRIO PUBLICO DO TRABALHO

Diante do impasse com o patronato após seis rodadas de negociação (a chantagem patronal é: sem aceitar porcarias não tem aumento), o Sindicato deu entrada, ainda antes do carnaval, de um pedido de mediação no Ministério Público do Trabalho – MPT e este marcou para a próxima segunda-feira, dia 18 de março, às 09h, uma audiência de negociação.
Para lembrar algumas das porcarias propostas pelos patrões:
• O Sindicato autorizar a quebra da 12/36 (trabalho nas folgas)
• Reduzir o pagamento do intrajornada de 144 reais por mês, para 24 reais/mês
• Retirar a clausula do fardamento (gratuidade e troca a cada 6 meses)
• Retirar a obrigação legal de exame periódico anual (só de 2 em 2 anos)
• Cobrar objeto roubado nos postos
• Permitir a reciclagem nos sábados, domingos, feriados e dias de folga
• Reajuste ZERO
Na assembleia de Salvador realizada ontem (13) ficou combinado que todo vigilante que estiver folgando precisa ir para o MPT (Corredor da Vitoria) na segunda-feira.
Além disso, as Assembleias estão dizendo de forma clara: SE O VIGILANTE QUISER AUMENTO O CAMINHO É ORGANIZAR A GREVE PARA DEFENDER AS CONQUISTAS E A DIGNIDADE DA CATEGORIA.
Portanto, todos ligados:
• Reiterar a pauta dos vigilantes (reajuste – inflação + 5% ganho real, ticket de 20 reais, Vale Transporte sem desconto, pagamento de hora extra na reciclagem, cota para vigilantes mulheres, cesta básica para todos, plano de saúde para dependentes, etc.)
• NEGOCIAÇÃO NO MPT ÀS 09H DE SEGUNDA-FEIRA, 18 DE MARÇO
• PRESSIONAR, RESISTIR E ORGANIZAR A GREVE.

ATUALIZADO EM 21/02/2019

NA 6ª(SEXTA) RODADA REAJUSTE “ZERO”, MAIS PORCARIAS E NEGOCIAÇÃO PARALISADA

O patronato voltou a mesa de negociação ontem (20) com o mesmo discurso das porcarias das rodadas anteriores e tentando chantagear as lideranças e trabalhadores presentes com proposta tipo: FARDA SEM PRAZO PARA TROCA, REDUZIR O VALOR DA INTRAJORNADA DE 144 PARA 24 REAIS, NÃO PAGAR A HORA EXTRA DA RECICLAGEM, NÃO CUMPRIR A LEI QUE MANDA FAZER EXAME MÉDICO E PSICOLÓGICO ANUAL, entre outras porcarias.
Mas o pior, depois de empurrar com a barriga desde o meados de janeiro a resposta ao nosso pleito de reajuste (INFLAÇÃO + 5% DE GANHO REAL, TICKET PARA 20 REAIS, VT SEM DESCONTO, etc.), responderam ontem assim:
• REAJUSTE ZERO OU SALARIO CONGELADO.
Evidente que a nossa resposta foi NÃO AOS MISERÁVEIS. Nossa revolta, a revolta da categoria foi dita na cara, mostrando fotografias de fiscalizações sindicais nos postos, comprovando vigilantes com farda esfarrapada, principalmente da MAP, entre outros absurdos
Mais: Não ficou agendada nenhuma outra rodada, ou seja: a negociação parou.
Agora ou vamos para o MPT, ou para a justiça ou para a greve.
Nas próximas horas definiremos e divulgaremos datas de assembleias para que a categoria se manifeste sobre os rumos da luta.
PATRÃO CADÊ O MEU AUMENTO?
Em tempo: um áudio que circula nas redes sociais sobre um acordo coletivo fechado, diz respeito ao Rio de Janeiro. A fala é de um dirigente do Sindicato dos Vigilantes do Município do Rio. Aqui na Bahia, qualquer proposta de acordo será apreciada, antes, pela categoria em assembleias. É assim que sempre fizemos e assim será feito.

ATUALIZADO EM 17/02/2019

NEGOCIAÇÕES RETORNAM NA QUARTA-FEIRA, DIA 20/02

O Sindicato patronal manifestou no final da tarde de ontem (sexta-feira – 15/02) o interesse de retomar o processo de negociação paralisado desde o último dia 07/02, quando estava marcada a 6ª(sexta) rodada e os patrões propuseram o adiamento.
Nesta próxima rodada, a 6ª(sexta), agora está prevista para acontecer no próximo dia 20/02, às 15 horas na sede do Sindicato patronal (centro empresarial Iguatemi).
O IBGE já divulgou o índice de inflação para a data-base de fevereiro (3,57%), portanto não há qualquer outra razão séria para o patronato continuar nas tentativas de enrolar a categoria. Vigilante não é bobo.
Eles já sabem que NÃO TEM CHANCE do Sindicato e dos trabalhadores aceitarem propostas indecentes e da reforma trabalhista/roubo de direitos (cobrar farda, reciclagem em dia de folga, banco ladrão, etc.).
A nossa resposta é a UNIÃO, MOBILIZAÇÃO E PRESSÃO

ATUALIZADO EM 10/02/2019

JUSTIÇA ATENDE PEDIDO DOS SINDICATOS E ASSEGURA DATA-BASE

A Presidente do Tribunal Regional do Trabalho, Desembargadora Maria de Lourdes Linhares L. Oliveira proferiu decisão no último dia 05 “RESGUARDANDO 1º DE FEVEREIRO COMO DATA-BASE DA CATEGORIA”.
A Desembargadora assim fundamentou a decisão:
Demonstrado o interesse jurídico do Requerente (Sindicato), estando regular a representação processual, considerando que foi encaminhada tempestivamente a pauta de reivindicações para o requerido, a fim de iniciar a negociação coletiva, bem como diante dos demais documentos anexados, DEFIRO O PEDIDO para resguardar 1º de fevereiro como data-base da categoria”. (transcrita doa autos do processo 0000103.80.2019.5.05.0000 – Sindvigilantes/Ba, Sindmetropolitano, SVItabuna x Sindesp/BA)
Portanto, diante da negativa dos patrões em garantir da data-base, o Sindicato buscou e encontrou na justiça o respaldo legal para que os vigilantes não tenham prejuízo sem a garantia da sua data-base.
Vale salientar que a Convenção teve sua validade até 31 de janeiro e pela CLT alterada na reforma trabalhista não está garantida a sua prorrogação desde 1º de fevereiro. Foi extinta a chamada ultratividade ou prorrogação das normas.
Sem prorrogação da CCT e garantia da data-base o prejuízo para a categoria seria monstruoso. A data-base já este ok. Agora é garantir as demais conquistas e a pauta da categoria.
Assim os Sindicatos fazem seu papel, defendem e zelam pela categoria e voltam a mesa de negociação mais fortalecidos e com a categoria consciente do seu papel de se unir, participar e apoiar a luta.
SINDVIGILANTES/BA

Atualizado em 08/02/2019

6ª RODADA SUSPENSA A PEDIDO DOS PATRÕES.
NOVA RODADA AINDA SEM DATA

A sexta rodada de negociação prevista para as 14h de ontem (07) foi suspensa a pedido dos patrões, alegando precisar de mais tempo para debater os itens da pauta.
Uma nova rodada ainda não ficou agendada, podendo acontecer no meio da próxima semana.
Vale salientar que a 5ª Rodada de negociação, realizada na ultima terça-feira (05) foi marcada por mais propostas indecentes dos patrões, tipo:
• Permissão para cobrar farda;
• Permissão para realizar reciclagem nos dias de folgas, sábado, domingo e feriados;
• Deixar de fazer manutenção de armas e munições;
• Permissão para quebra da 12/36;
Além disso, nada de proposta de reajuste.
A resposta da categoria tem sido acompanhar de perto as negociações, participar das reuniões do Sindicato nos locais de trabalho e debater todas as formas de mobilização.
Portanto, se ligue, meu irmão:
“VAMOS AMIGO LUTE, SE NÃO, AGENTE ACABA PERDENDO O QUE JÁ CONQUISTOU”. (E. Gomes).

ATUALIZADO EM 06/02/2019

NA QUINTA RODADA SÓ PORCARIA. NOVA RODADA NESTA 5ª DIA 07, ÀS 14H    

O processo de negociação deste ano até que está em um ritmo melhor que o do ano passado. Fizemos uma 5ª Rodada na terça e nesta quinta-feira (7), às 14h tem nova rodada prevista.

Os patrões, considerados os “bonzinhos” pelos pelegos,ou as empresas boas, propõe a exclusão da cláusula que prevê a manutenção das armas, a quebra da escala 12 x 36, a extinção da intrajornada  e muito mais, a tentativa do sindicato patronal é escravizar e precarizar ainda mais a categoria, o pacote de maldade dos patrões não tem limite. As lideranças sindicais continuam na luta rechaçando essas porcarias proposta pelo patrão e seguiremos na resistência em busca de melhorias para os vigilantes da Bahia.

Mas se há uma certa agilidade no processo, a qualidade é a pior. Isto vai ficando claro a cada rodada. Na reunião da terça-feira, por exemplo, a insistência dos patrões foi com coisas tipo:

  • Quebra da 12/36
  • Acabar com a obrigação de fazer manutenção de armas e munições
  • Reduzir o pagamento da intrajornada dos atuais 144 reais para cerca de 25 reais
  • Acabar com o exame médico anual (a saúde do vigilante, para eles, é prejuízo)
  • Reciclagem nos dias de folga, sábados, domingos e feriados
  • Cobrar do vigilante objeto roubado por criminosos
  • Retirar o direito a assentos nos postos
  • Banco de  Horas (banco ladrão)
  • Demissão voluntária
  • Quitação anual (acaba com o direito de recorrer à justiça).

É mole ou quer mais?

E na mesa de negociação, defendendo essas porcarias, estão os donos das “boas” dos pelegos e puxa-sacos. Quem prestou atenção na foto da reunião passada viu uma parte de quem estava lá.

Portanto, não tem nada bom e o remédio é lutar.

Nesta quinta-feira, 07 de fevereiro, às 14h, todos no Centro Empresarial Iguatemi.

ATUALIZADO EM 30/01/2019

NA 4ª RODADA O MANTRA PATRONAL CONTINUA “NÃO

RODADA AGENDA PARA O  DIA 05/02 (TERÇA-FEIRA), 10H NO CENTRO EMPRESARIAL  IGUATEMI

Lideranças sindicais e Comissão de Base (mais os vigilantes que acompanharam na entrada do Centro Empresarial) voltaram ao sindicato patronal na manhã desta quarta-feira para a 4ª Rodada de Negociação. Dos 21 itens da nossa pauta a resposta patronal a todos, repetimos, TODOS, foi NÃO. Além disso, voltaram a insistir nas “porcarias”. Hoje, por exemplo, receberam NÃO dos trabalhadores as propostas indecentes, como:

  • Deixar de adiantar o 13º em junho.
  • Tirar o direito a alimentação do vigilante que trabalhe até 6h por dia.
  • Deixar de pagar o Dia do Vigilante.
  • Desobrigar-se de fornecer Lanterna para posto noturno.
  • Cortar convênios/Cartão Farmácia, Livraria, etc.

Nova reunião ficou agendada para a próxima terça-feira, 5 de fevereiro. Click aqui e veja >>>Terceira ata da campanha salarial 2019  doc02594920190130175122

Da parte da categoria as assembleias dos dias 25 e 26 em Salvador e algumas cidade do interior indicaram a necessidade de trabalhar a união e mobilização da categoria. Não há lugar para intriga, fofoca e jogo de pombo sujo de patrão.


Atualizado em 25 / 01 / 2019

NA 3ª RODADA É TUDO NÃO E AS PORCARIAS JÁ APRESENTADAS

Nesta quinta- feira, 24, as lideranças sindicais e Comissão de Base se reuniram novamente com o Sindicato patronal para tratar da pauta da categoria.

Os patrões repetiram um coro e responderam a todos os itens da nossa Pauta (doze dos vinte itens) com NÃO em tudo (a ata de 24/01 ainda não foi assinada, devendo ficar disponível somente dia 30).

Na assembleia de hoje pela manhã no Sindicato os vigilantes presentes:

  • Apoiaram a condução do processo de negociação pelo Sindicato;
  • Mais vigilantes foram eleitos para reforçar a Comissão de Negociação para a Nova rodada no próximo dia 30.
  • E todas as opções foram colocadas na nossa agenda: mobilização, greve, dissídio coletivo, etc.

Novas assembleias estão agendadas, inclusive neste sábado na sede do Sindicato, além de outras cidades do Estado.

É LUTA, É MOBILIZAÇÃO, É UNIÃO DO VIGILANTE POR SEUS DIREITOS, CONQUISTAS E POR DIAS MELHORES.

Atualizado em 22/01/2019

NA 2ª RODADA, Nesta 2ª Feira, 21, As Lideranças Sindicais E Comissão De Base Se Reuniram Novamente Com O Sindicato Patronal Para Tratar Da Pauta Da Categoria.  De pronto rejeitaram A Resposta Do Sindesp-Ba- Sindicato Das Empresas De Segurança Do Estado Da Bahia. Para Jose Boaventura Presidente Do Sindvigilantes “As Proposições Do Patronato Representam O Retrocesso E Dificultam O Processo De Negociação” De Pronto Todos Os Outros Sindicatos Que Representam A Categoria, Reafirmaram A Involução apresentada Pelo Patronal, Boaventura Finalizou Sugerindo Que “Os Patrões Revissem As Preposições Apresentadas Visando A Melhor Evolução Das Negociações,
Ficando Agendada Mais Duas Rodadas: 24 E 30/01 Ambas Ás 10 Horas

Veja abaixo o documento entregue no ato da reunião

Sindesp – Sindicato das Empresas de Segurança Privada do Estado da Bahia

Av. Tancredo Neves, 2741 – Caminho das Arvores – Tel: (71) 3431-9687

CEP: 41.820-907 – Salvador – Bahia

Att. Sr. Paulo Roberto Cruz Azevedo – Presidente

Ref.: Carta Sindesp nº 001/19 – Responde.

Senhor Presidente,

Os Sindicatos representativos dos trabalhadores em segurança privada no estado da Bahia, por seus respectivos Presidentes, dirigem-se a Vossa Senhoria para acusar o recebimento da Carta nº 001/2019, de 11/01/2019 e recebida neste Sindicato em 14/01/2019, contendo manifestação acerca da Proposta apresentada em 30/11/2019 pelos Sindicatos laborais para renovação da Convenção Coletiva de Trabalho vigente de 1º de fevereiro de 2018 a 31 de janeiro de 2019, salientando o seguinte:

1) Inicialmente reafirmam na sua integralidade a proposição apresentada em 30/11/2018 para renovação da Convenção Coletiva de Trabalho por razões de justeza e necessidade;

2) Por outro lado, manifestamos nossa estranheza e total reprovação à conteúdo da mencionada manifestação patronal, uma vez que sem qualquer razoabilidade diante da historia das relações sindicais e trabalhistas praticadas no âmbito da categoria e da atividade econômica, bem como desfocada do contexto também histórico de preservação da boa-fé que deve pautar estas relações;

3) Reforma estas constatações os posicionamentos anômalos e totalmente irracionais, a exemplo de:

• Negativa de manutenção da data-base, quando tal referencial é premissa, inclusive, nos contratos firmados pelas empresas e nas normativas oficiais;

• Desobrigação em relação ao adiantamento do 13º, quando os valores já são apropriado mês a mês;

• Exclusão da multa por descumprimento, sinalizando o estimulo ao desrespeito a norma coletiva;

• Excluir a clausula que trata de fiscalização nos postos é afirmar o já conhecido descompromisso profissional e confirmar o mercado tão somente de mão-de-obra;

• Alteração na clausula da contribuição sindical laboral, alegando a aplicação da lei somente para os trabalhadores;

• Excluir a obrigatoriedade de lanternas nos postos é a confirmação da mera venda de mão-de-obra e não do produto segurança. Imagine um trabalho noturno sem lanterna…;

• Excluir o convenio farmácia e outros, cujo custo é totalmente absorvido pelos empregados é uma mostra do descompromisso com o pouco que se poderia conceber do caráter humano das relações de trabalho;

• Excluir a manutenção de armas, reforça o nosso argumento sobre a mera venda de mão-de-obra e zero de zelo com a segurança dos trabalhadores;

• Voltar a discussão sobre indenização do intervalo intrajornada é, fundamentalmente, desproposital;

• Desconstruir a previsão legal em relação a periodicidade do exame de saúde periódico é de se questionar “com que grau de responsabilidade e compromisso com a saúde do empregado. Reprovável, condenável;

• Curso de reciclagem em dia de folga? irracional!;

• Excluir a obrigação quanto ao fornecimento gratuito e a periodicidade do fardamento reforça a compreensão em relação a completa falta de respeito ao trabalhador e a normalidade histórica conseguida no setor;

• Excluir a previsão de proibição de descontos de objetos subtraídos por terceiros é querer extrair do trabalhador um ônus que não é seu;

Poderíamos citar todas as propostas de exclusão ou alteração, mas todas, repetimos; TODAS são inaceitáveis

José Boaventura Santos Geraldo da Silva Cruz

     Presidente                           Presidente

 Sindvigilantes/BA                Sindmetropolitano /BA

Edvaldo Santos Rosa         Wilson Pereira dos Santos

      Presidente                             Presidente

      SVItabuna               Sindvigilantes/Feira

Atualizando em 18/01/2019

PATRÃO, CADÊ O MEU AUMENTO E MEUS DIREITOS?

QUASE 30 ASSEMBLEIAS EM TODO ESTADO: DEMOCRACIA SINDICAL E PARTICIPAÇÃO DA CATEGORIA, APROVA PAUTA, ELEGE COMISSÃO NEGOCIAÇÃO E PLANO DE MOBILIZAÇÃO.

No período de 16 a 30 de novembro passado os Sindicatos de Vigilantes da Bahia (Sindvigilantes/BA, Sindmetropolitano, SVItabuna e Sindvigilantes/Feira) realizaram exatamente 29 assembléias e reuniões em todas as regiões do Estado (de Teixeira de Freitas, a Luiz E. Magalhães, passando por Salvador – incluindo sábado para os vigilantes de banco – Camaçari, Feira e Itabuna, Conquista, Santo Antonio) para discutir e aprovar a pauta de reivindicações, eleger Comissão de Negociação e o plano de mobilização. Quem pôde ou quis contribuir não ficou de fora. Unificada a pauta, os Sindicatos protocolaram no Sindicato patronal no dia 30 de novembro e ainda no dia 18 de dezembro foram ao Sindicato patronal cobrar resposta. Dia 14 foi realizada a primeira rodada de negociação.  

ASSEMBLEIAS DE ANALISE E ENCAMINHAMENTOS DA CAMPANHA

A resposta do patronato o sinal de alerta passar direto para a luz vermelha (não passou pelo amarelo). A intenção do patronato é esculachar, desmoralizar a categoria (veja o texto no verso).

Como estão previstas duas rodadas de negociação nos dias 21 e 24 de janeiro, a categoria está sendo chamada para avaliar e tratar dos encaminhamentos da negociação e da campanha. Todos nas Assembleias.

ASSEMBLEIA DE CAMPANHA SALARIAL

Em Salvador,25 E 26 DE JANEIRO (SEXTA E SÁBADO) – SEMPRE ÀS 08H30, NO SINDICATO – R. DO GRAVATÁ 23 – NAZARÉ.

EM Camaçari,25/01 ás 08h30 no Sindicato-Rua Goiás,29 centro.

EM Feira de Santana,28/01 ás 08h30-Rua Bóticario Moncorvo, 460,1º andar-Kalilandia, no Sindicato.

Em ITABUNA, 28/01 ás 08h30 e 19h30- Rua Monsenhor Moises, 161 – Pontalzinho

SE LHE ENGANARAM, ACORDE PRA VIDA: REFORMA ZERA TODAS NOSSAS CONQUISTAS

Muita gente embarcou nas estórias da rede globo e de uma meia dúzia de pelegos que afirmaram que a reforma trabalhista/roubo de direitos seria o paraíso para os trabalhadores. Mas o “doce” virou “amargo” e a tal reforma veio para enfraquecer a organização dos trabalhadores e tirar direitos. Pela lei, por exemplo, acabou a intrajornada, o adicional noturno de 5 as 7h e até incluíram uma justa causa caso o vigilante seja reprovado na reciclagem. Mas o pior, o mais criminoso, foi a tal “ULTRATIVIDADE”. Traduzindo: terminou o prazo de validade da CCT, zera tudo. Antes mantinha-se todas as conquistas até nova CCT. Por isto as condições para negociar e manter as conquistas são as piores de toda a historia de luta dos trabalhadores no Brasil, exigindo assim muita consciência, união e organização. leia abaixo o que colocaram na CLT:

“Art. 614 da CLT – § 3o Não será permitido estipular duração de convenção coletiva ou acordo coletivo de trabalho superior a dois anos, sendo vedada a ultratividade”.  (Redação dada pela Lei nº 13.467, de 2017). Este foi o acréscimo sorrateiro que “ferrou” com os trabalhadores.

Se foi o seu caso: ACORDE PRA VIDA. Lhe enganaram e agora buscam bode expiatório. Portanto, nesta campanha temos de enfrentar o patrão e o governo e suas armas apontadas para os trabalhadores.

CONTRAPROPOSTA PATRONAL INDECENTE.

A RESPOSTA É UNIÃO, MOBILIZAÇÃO E LUTA!

Diferente do ano passado, quando os patrões só concordaram em sentar para negociar em fevereiro, neste ano eles concordaram em iniciar as negociações mais cedo e na ultima sexta-feira (11) aconteceu a primeira rodada efetiva de negociação com Sindicato patronal. Na segunda-feira seguinte, dia 14, entregaram ao Sindicato um documento contendo a sua contraproposta, ficando agendada mais três rodadas: 21, 24 e 30/01.

Já a contraproposta é um deboche, uma indignidade, revoltante e merecedora do repudio de todos. O que queremos todo mundo já sabe:

  • MANUTENÇÃO DAS CONQUISTAS, REAJUSTE: INFLAÇÃO, MAIS 5%, TICKET DE 20 REAIS, VT SEM DESCONTO, CESTA BASICA PARA TODOS, HORA EXTRA NA RECICLAGEM, ETC.

Sem data Base em 1º fevereiro * Fim do adiantamento do 13º em junho * Sem multa para empresa que descumprir a CCT *Não pagar o dia do Vigilante *Excluir a obrigação de lanterna no posto *Fim do Convenio Farmácia * Voltar o desconto da alimentação para 20% (hoje 15%) * Retirar a obrigação de realizar manutenção de armas *Intervalo Intrajornada – reduzir dos atuais 144 reais para cerca de 24 reais  * Retirar a obrigação de realizar exame médico anual (só realizar a cada 2 anos) * Reciclagem nos dias de folga* PAGAR FARDA * Descontar objetos roubados por terceiros.  

  • Da nossa Pauta, negam tudo. É somente NÃO!
  • E Mais: querem incluir na CCT o  banco de horas (banco ladrão), quitação Anual (isto impede buscar na justiça qualquer direito) e um tal Plano de Demissão Voluntária.
  • Nada de propostas de aumento e reajustes.

Como a tal reforma trabalhista/roubo de direitos acabou com a ULTRATIVIDADE (garantia de manutenção das conquistas até a assinatura da nova CCT) todas as nossas conquistas correm perigo. Com as alterações da tal reforma em relação as leis e as Convenções todos nós temos a responsabilidade de buscar a união, o fortalecimento e a mobilização para resistir e virar o jogo.

Excluir a clausula que garante uniforme gratuito e exame médico anual é voltar ao passado de quase escravidão na vigilância, além de impedir o Sindicato de cobrar na justiça indenizações e multas de empresa que não cumprem a lei e a CCT, repassando as conquistas a categoria. Os colegas da Prosegur, Map, Vipac, MJR e Topseg e outras sabem o significado do dinheiro extra de multas conquistadas que já lhes foram entregues pelo Sindicato.

A UNIÃO E MOBILIZAÇÃO COMO RESPOSTA – A reunião de sexta-feira passada contou com a presença das lideranças sindicais e Comissão de Base eleita nas Assembleias. Para todos, não há outro caminho que não seja a busca da UNIÃO E MOBILIZAÇÃO. Portanto participar das assembleias é fundamental.

Todo mundo se ligou na luta, na real? Aí não há tempo vadio para pelegos e puxa-sacos, para quem faz jogo  do patrão de enfraquecer a categoria e o seu Sindicato. BOL CAMP SAL 2019 03 PDF

Atualizado em 14 JAN’ 2019

CAMPANHA SALARIAL 2019 – PATRÃO CADÊ MEU AUMENTO E MEUS DIREITOS?:

Diferente do ano passado, quando os patrões só concordaram em sentar para negociar em fevereiro, neste ano eles concordaram em iniciar as negociações mais cedo e na ultima sexta-feira (11) aconteceu a primeira rodada efetiva de negociação com Sindicato patronal. Como esperado, os patrões ficaram de apresentar uma contraproposta nesta segunda-feira (11) e novas rodadas ficaram agendadas para os dias 21, 24 e 30 de janeiro.
Na tarde desta segunda-feira chegou a contraproposta. Uma indignidade, revoltante e merecedora do repudio da direção do Sindicato e da categoria. O que queremos todo mundo já sabe:
• MANUTENÇÃO DAS CONQUISTAS, REAJUSTE: INFLAÇÃO, MAIS 5%, TICKET DE 20 REAIS, VT SEM DESCONTO, CESTA BÁSICA PARA TODOS, HORA EXTRA NA RECICLAGEM, ETC.
Mas veja alguns pontos da contraposta patronal (a integra do documento patronal estará no pagina eletrônica do Sindicato nesta semana):
• Sem data Base em 1º fevereiro * Fim do adiantamento do 13º em junho * Sem multa para empresa que descumprir a CCT Não pagar o dia do Vigilante *Excluir a obrigação de lanterna no posto *Fim do Convenio Farmácia * Voltar o desconto da alimentação para 20% (hoje 15%) * Retirar a obrigação de realizar manutenção de armas *Intervalo Intrajornada – reduzir dos atuais 144 reais para cerca de 24 reais * Retirar a obrigação de realizar exame médico anual (só realizar a cada 2 anos) * Reciclagem nos dias de folga PAGAR FARDA * Descontar objetos roubados por terceiros.
• Da nossa Pauta, negam tudo. É somente NÃO!
• Além disso tudo, querem incluir na CCT: Banco de Horas (banco ladrão) * Quitação Anual ( nada mais a reclamar na justiça) * Plano de Demissão Voluntária.
• Sobre aumento e reajustes os patrões dizem que apresentam propostas nas próximas rodadas.
Como a tal reforma trabalhista/roubo de direitos acabou com a ULTRATIVIDADE (garantia de manutenção das conquistas até a assinatura da nova CCT) todas as nossas conquistas correm perigo.
Também com as alterações da tal reforma em relação as leis e as Convenções todos nós temos a responsabilidade de buscar a união, o fortalecimento e a mobilização para resistir e virar o jogo.
Excluir a clausula que garante uniforme gratuito e exame médico anual significa impedir que o Sindicato continue cobrando na justiça indenizações e multas de empresa que não cumprem a lei e a CCT, repassando a categoria. Os colegas da Prosegur, Map, Vipac, MJR e Topseg e outras sabem o significado do dinheiro extra de multas conquistadas que já lhes foram entregues pelo Sindicato. Por isto a contraproposta dos patrões visa: coibir a luta e as ações do Sindicato, enfraquecer e desmoralizar a categoria.
A UNIÃO E MOBILIZAÇÃO COMO RESPOSTA – A reunião de sexta-feira passada contou com a presença das lideranças sindicais e Comissão de Base eleita nas Assembleias. Para todos, não há outro caminho que não seja a busca da UNIÃO E MOBILIZAÇÃO.
ASSEMBLEIAS DE MOBILIZAÇÃO – Ainda nesta semana definiremos data para assembleias de mobilização e luta. É tudo ou nada!
Todo mundo se ligou?
Fora disso não há tempo para dá atenção a pelegos e puxa-sacos de patrão, para quem só de preocupam em atacar e enfraquecer o Sindicato para o bem do patrão.

 Click aqui >>>http://sindvigilantes.org.br/wp-content/uploads/2019/01/Resposta-do-patr%C3%A3o-para-os-vigilantes-da-bahia.pdf

Atualizado em 11/12/2018

TÁ COMEÇANDO

VENHAS NAS ASSEMBLEIAS E DIGA O QUE VOCÊ QUER.

A nossa data-base está chegando. A atual Convenção Coletiva de Trabalho – CCT vale até 31 de janeiro de 2019. É hora de definir o que você quer, o que a categoria quer na nova CCT a partir de 1º de fevereiro de 2019.

            A nossa CCT tem hoje 100 Clausulas. O que temos de mais importante está na CCT (não só na lei): Piso Salarial, Ticket Refeição, Plano de Saúde, Adicional de Boa Permanência I e II (8,5% e 22,84%), Prêmio de Férias, Adicional Noturno a 35% (na lei é 20%) e até às 7h da manhã, Pagamento de Intervalo Intrajornada, Jornada 12/36, 8h48 de segunda a sexta, Reciclagem/atualização só em dias úteis (feriado e fins de semana, não), Cesta Básica, Assento, Clausula Anticalote.

            Mais: Hora Noturna Reduzida, Adiantamento de 13º em junho (a lei é novembro), Seguro de Vida, Auxilio Funeral, Gratificação de 30% do Vigilante Motorista, Fiscal, Líder, Tesouraria, Supervisor e Brigadista, pagamento do Dia do Vigilante, Garantia de Emprego na troca de empresa no mesmo contrato, Lanterna, Capa de Chuva, Algema,Assistência Jurídica, Manutenção de Armas, Fardamento Gratuito a cada 6 meses, Fornecimento de Contracheque, entre outras. Entendeu a importância deste instrumento ? sem a CCT tudo isto  acaba.

            Mas a CCT é o resultado da mobilização e da negociação entre empregados e patrões. Entre o nosso Sindicato e o Sindicato patronal. E para negociar precisamos definir, muito claramente, o que queremos, como vamos fazer a mobilização e a luta, sendo indispensável a nossa união.

PAUTA ENTREGUE AOS PATRÕES COM 60 DIAS DE ANTECEDÊNCIA

No último dia 30 de novembro do ano em curso,  os Sindicatos de vigilantes no Estado da Bahia, SINDVIGILANTES-BA, SINDMETROPOLITANO, SINDITABUNA E SINDVIGILANTES-FEIRA DE SANTANA E REGIÃO , entregaram a paPAUTA ENTREGUE AOS PATRÕES COM 60 DIAS DE ANTECEDÊNCIAuta de reivindicações da categoria para a renovação da CCT- Convenção Coletiva de Trabalho 2019/2020, ao Sindesp -Sindicato das Empresas de Segurança Privada do Estado da Bahia. A pauta é resultado das 29 assembleias realizadas no estado no período de 14 a 30 de novembro. Nos próximos dias toda a categoria receberá um informe detalhado sobre a pauta. Mas quem esteve nas assembleias sabe o que foi discutido e aprovado. Em 2019 com luta e união conquistaremos mais empregos e direitos.

CLICK AQUI E BAIXE  A PAUTA DOS TRABALHADORES>>>doc01968520181130205135 

CONTRAPROPOSTA PATRONAL INDECENTE. A RESPOSTA É UNIÃO, MOBILIZAÇÃO E LUTA!