PROTESTO DOS VIGILANTES CONTRA O GOVERNO RUI COSTA

DESEMPREGO, INGERENCIA INDEVIDA E MASCARAMENTO

Os trabalhadores terceirizados contratados para atuar nos órgãos do Governo do Estado da Bahia têm sofrido ataques sistemáticos aos seus empregos e sua sobrevivência digna. É supressão de postos de trabalho, substituição por REDAS ou o simples mascaramento (quando substitui vigilantes por “porteiros” para exercer as mesmas tarefas dos vigilantes, mas recebendo salário menor), um ataque covarde a nossa sobrevivência, ao trabalho decente e a dignidade.

Por ultimo e para piorar o governo publica portarias, tipo a SAEB 459/2018, ingerindo nas negociações de convenções coletivas de trabalhadores terceirizados, mandando reduzir salários, baseado na famigerada reforma trabalhista de Temer, patrões  e seus golpistas.

Os vigilantes, entre os terceirizados, se transformaram num alvo preferencial do governo. No final de 2016 quase 2500 que atuavam na SEC foram demitidos e as escolas no interior ficaram sem vigilantes. Neste ano, os ataques contra o emprego vêm de várias frentes: Secult, universidades estaduais e na semana passada na saúde, com 200 vigilantes demitidos.

Tudo isto de forma autoritária, sem o mínimo dialogo ou respeito.

O Governador elegeu os trabalhadores terceirizados, os vigilantes em especial, como inimigos.

Nossa resposta será o repudio, a indignação, a resistência e a luta para recuperar e manter nossos empregos,  nossa profissão e nossa dignidade.

Governador devolva nossos empregos, não mande reduzir salários e não mascare ou precarize o trabalho na Bahia.

Salvador, 28 de março de 2018